sexta-feira, 4 de março de 2011

Não esqueças de mim

Outono, este é meu nome. Outono... Outono.
Sou o esquecido das estações. Eu, que levo com o vento as folhas que estão cansadas de um verão formoso e cheio de energia, que as pinto de amarelo para quebrar a monotonia do verde.
Eu, que preparo as almas pro formoso inverno, que destruo o sorriso dos foliões mas devolvo-o aos sensatos.
Eu, que descanso os galhos das árvores, que torno os dias e as noites mais confortáveis.
Eu, que não tenho flores, nem pássaros cantando, nem jardins coloridos, que tenho apenas tons cinza e amarelo.
Eu, que não sou esplendoroso nem tão gracioso, tenho apenas meu charme. Eu, que sou tímido e discreto.
Sou o Outono, a estação dos esquecidos, perdidos, atordoados.
Sou a estação do silêncio, da solidão.
Sou o silêncio, a solidão.
Não esqueças de mim.

6 comentários:

  1. Clara, detalhates tão bem o sentimento do outono. Pude sentir a súplica do outono para que não esquecemos dele. E tudo aqui do seu blog me lembra tanto ele. Enquanto lia suas palavras as cores foram tomando forma por aqui, por aqui lembra o outono. O seu cantinho é esplêndido e ficarei por aqui. Seguindo. Passa no meu? Beijos, querida.

    ResponderExcluir
  2. De verdade, Clara, essas folhas, esse clima, esse outono... É tudo tão... outono! É lindo!

    p.s.: fui o primeiro, haha! Umbeijo.

    ResponderExcluir
  3. Clara, te indiquei mais um selo em meu blog.
    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Clara, adorei teus textos. Uma gostosura teu blog *.* Estou seguindo.

    ResponderExcluir
  5. Bacana esse post, Clarita! ;)
    Foi meio que um toque na minha lembrança de Outono... beijos!

    ResponderExcluir